Desenhando

Lições de um mestre bizarro

Lições de um mestre bizarro



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A edição de outono do Drawing chama a atenção de um artista esquecido da era barroca: Giovanni Battista Bracelli. A maior conquista de Bracelli foi uma série de gravuras chamada "Figura Bizzarie di Varie", na qual figuras são inventivamente construídas a partir de formas, objetos e materiais geométricos.

No artigo, John A. Parks conta a história da carreira de Bracelli (ou o que pouco se sabe sobre ela) e detalha as estratégias que ele usa nessas gravuras. A suíte Bizzarie contém mais desenhos do que pudemos incluir no artigo da revista. Por isso, temos o prazer de apresentar uma seleção extensa de pratos desta série, acompanhados de um trecho do artigo de John. Para ler a peça inteira, obtenha sua cópia do Desenho do outono de 2014 ou assine a revista aqui.

~~~

Aprendendo com Giovanni Battista Bracelli
por John A. Parks, trecho de "Geometria bizarra: as gravuras de Giovanni Battista Bracelli"

As impressões únicas de Bracelli não são apenas divertidas, mas também tremendamente informativas para artistas que trabalham com a figura humana. As quatro observações a seguir são apenas algumas das lições que podemos aprender com o trabalho dele.

1) Fazendo formulários equivalentes: Muitas das figuras da Bizzarie são construídas com formas alternativas: caixas, anéis, hélices, etc. Fazer figuras dessa maneira pode ajudá-lo a pensar e conceituar os vários volumes do corpo, sem passar pela onerosa tarefa de renderizar a superfície.

2) A importância do gesto: Todas as figuras em Bizzarie exibir gestos claramente legíveis. Às vezes são exagerados e ocasionalmente estranhos, mas sempre eminentemente reconhecíveis. A idéia de que grande parte de nossa informação social é transmitida através de gestos é central para muitas obras de figuras e foi particularmente importante no século XVII, quando artistas clássicos como Poussin procuravam ilustrar eventos no mito e na história. Com demasiada frequência, os estudantes de arte passam inúmeras horas aprendendo a criar formas e a construir proporções precisas sem prestar atenção suficiente à forma como a figura pode ler em um contexto narrativo.

3) O poder da imaginação: Os números de Bracelli são inesquecíveis porque fazem conexões surpreendentes e imaginativas. Uma figura é criada a partir de componentes inesperados. Um anel se torna um pé, uma moldura de caixa se torna uma cabeça. O artista não teve medo de deixar sua imaginação vagar, mesmo quando às vezes deixava as pistas. Tentar algo novo e entrar em território desconhecido é sempre arriscado. Bracelli foi em frente.

4) Humor e capricho: É difícil demonstrar humor em obras de pintura ou escultura em larga escala, porque as piadas tendem a se desgastar rapidamente. Mas em trabalhos gráficos de pequena escala, como o Bizzarie gravuras, uma sensação de capricho e prazer permite um humor gentil. O espectador é levado pela alegria da invenção que o artista exibe.

~~~

Para ver mais do trabalho de Bracelli e ler o artigo inteiro, obtenha uma cópia do outono de 2014 Desenhando, ou assine a revista.


Assista o vídeo: Mestre de artes marciais separa fantasia, da realidade (Agosto 2022).